FUTUROS AMORES

Um blog sobre amor, arte e acaso.

1 de mar de 2010

Um homem pra chamar de seu.

Postado por Priscila |

Gosto de ler Martha Medeiros. Ela movimenta as minhas idéias, organiza em palavras o que estou sentindo, me oferece um novo ângulo para um velho olhar... Martha me irrita! Ela me irrita tanto que eu gosto dela!

O texto da Martha é como a mensagem do biscoito da sorte: sempre tem algo que ecoa dentro de mim. A diferença entre os dois é que o texto dela não me dá os números da sorte para uma possível fézinha na Mega-Sena(pensando bem, dá pra imaginar ela terminando um texto dizendo: "e os seus números da sorte são: 02-05-10-24-32-48").

***

Ontem dancei pra me acabar! As pessoas não conseguem entender como eu posso ter tanta energia se não bebi, não fumei e não usei qualquer coisa do gênero... Elas não entendem porque não são capazes de compreender que eu danço pra mim e pra mais ninguém! Se tiver que pular e tirar o pé do chão, eu tiro! Se eu quiser rebolar até o chão, eu rebolo! E sabe o que eu mais gosto? Eu gosto de ver as caras de bobo me olhando... Sem entender como uma garota de óculos, tênis e toda certinha pode ter tamanha desenvoltura mundana... É uma delícia!

Por outro lado, eu não entendo um monte de coisas... Eu não entendo como "alguém" cai no choro ouvindo "Mesmo que seja eu"...

Você precisa de um homem pra chamar de seu
Mesmo que esse homem seja eu
Um homem pra chamar de seu.
Mesmo que esse homem seja eu
Um homem pra chamar de seu...


Será? Qualquer um? Desde que tenha um sorriso bonito e um pouco de cabelo na cabeça? (Vejam o filme "Amor sem escalas"! Vocês vão entender! rs).

Então, tá! Arrumo um "cabra" pra chamar de meu, mesmo que seja por uma noite ou, para ser mais exata, por algumas horas, e? E nada! É só isso. Mesmo que "o cabra" tenha um sorriso bonito e cabelo na cabeça... Mesmo que o papo seja bom (com todo o barulho infernal)... Mesmo que ele tenha conseguido me fazer rir... No fim, isso tudo foi o mesmo que NADA. E por quê? Porque cada "bunda" que passa representa uma possibilidade de coito com menos gasto de energia para "o cabra" e aí, a "garota orgulhosa" decide dar as costas e ir embora. Ela não queria ser só "bunda"... E também não queria apenas "um homem pra chamar de seu", apesar do sorriso bonito, apesar do cabelo na cabeça, "apesar de"... Eu quero mais!

Agora entra a Martha Medeiros:

"(...) Este entre-e-sai de homens e mulheres na vida uns dos outros dinamiza as relações, incrementa biografias, dá uma sensação de estarmos aproveitando bem o nosso tempo. E o amor não está excluído da festa, pode marcar presença forte em quaisquer dos novos padrões de comportamento. Mas este barulho todo não oculta nosso questionamento mais secreto: haverá alguém que, entre todos os que cruzaram nosso caminho, poderia ter nos transformado, nos acrescido, nos desviado desta eterna experimentação e justificado nossa existência de uma forma mais intensa? Terá esta pessoa cruzado por nós e a perdemos por causa de uma frase mal colocada, por uma palavra dita com agressividade, por uma precipitação, por um medo ou um equívoco?"*

Pois é, essa pergunta me percorreu as veias... Tantas pessoas, tantas possibilidades e ao mesmo tempo, NADA! Não tenho respostas... Mas Martha termina o texto da seguinte forma:

"(...) O maravilhoso mundo das relações amorosas progride, se reinventa, se liberta das convenções, se movimenta para um lado e para o outro, mas seguimos mantendo a íntima esperança de que, entre todos os "muitos" que nos fizeram felizes, possamos reconhecer aquele "um" que calaria todas as nossas perguntas."*

***

É, talvez seja como acertar os números da Mega-Sena...

_________________________

* Trechos do texto O ocasional e o essencial de Martha Medeiros.

1 comentários:

Mulher de Fases disse...

SE ESPERARMOS QEU ISSO ACONTEÇA,
NUNCA OCORRERÁ.
SOMOS NÓS QUE DECIDIMOS AQUELE QUE SERÁ O CERTO E JUNTO AO ESCOLHIDO FAREMOS DE TUDO PARA QUE O RELACIONAMENTO DESLANCHE.
HAVERÁ SEMPRE ALTOS E BAIXOS ,MAS O AMOR SEMPRE VENCE.O AMOR A GENTE INVENTA!