FUTUROS AMORES

Um blog sobre amor, arte e acaso.

16 de nov de 2012

O cinza,os cacos e o caos

Postado por Priscila |



Hoje o dia nasceu cinza. Naquela tom mais difícil de definir. Ter a si mesma já é um ganho tão grande e, ao mesmo tempo, tão pesado. Pensei escrever inúmeras cartas. Pensei em narrar uma história. Pensei compor uma música. Mas hoje, até para conseguir isso, teria que fazer uma força extra.

Estou cansada. Minto, estou exausta.

A quem estou querendo enganar? Tem um monte de entulho, poeira e vidro quebrado e eu brincando de “faz de conta que...”

Faz de conta que estou saindo de férias.
Faz de conta que está fazendo sol.
Faz de conta que acredito nisso tudo.

Eu sou uma grande mentirosa... Querendo fazer poesia com uma coisa tão feia!

Meu Deus, como é feio!

Queria que um raio de luz caísse sobre a minha cabeça e apagasse toda essa feiura! Que eu voltasse a ser ingênua como uma criança a ponto de simplesmente acreditar e sair cantando...

Mas – meu Deus! –, como...!?

Defloraram a minha alma com um estupro...

Violentaram meus galhos de rosa e, apesar de ainda parecer uma rosa, estou tão desajeitada, tão cheia de espinhos... E não me venha falar de minhas cores, de meu perfume... Isso, Sras. e Srs., é figurino e maquiagem. O otimista pouco atacado pela vida diria: “— Alegre-se! Você sobreviveu!” E eu responderia com o meu silêncio: “— Sobreviver não é tudo. Tá vendo essa pereba? Sempre será uma pereba. Ela também sobreviverá comigo. Tá vendo esse osso quebrado? Ele também sobrevive em mim e dói quando o tempo fica frio e cinza como hoje!”

Eu sobrevivi. Mas o que eu tinha de mais puro e belo está destruído. Só tem cacos que eu tento o tempo inteiro transformar em um “lindo” mosaico... Sou um Frankenstein de mim mesma.

Estou exausta. Ter a si mesma é um ganho muito grande, mas nessas condições, é muito pesado.

1 comentários:

Larissa Lima disse...

um frankenstein de si mesma.