FUTUROS AMORES

Um blog sobre amor, arte e acaso.

5 de jul de 2010

Sertão.

Postado por Priscila |

[René Magritte, golconde]


Por que homem com poesia só chove na horta do desencanto?
Por que não chove nas terras secas e ávidas de delicadeza?
Por que não escolhe terras que estão limpas e abertas?
Por que prefere o espinheiro, o mato alto, a terra pedregosa?
Por quê?
Não me venha dizer que não se pode escolher onde se chove!
Não entendo homem-núvem... Não entendo.
***
E minhas terras racham secas à espera da gota d'água...

3 comentários:

SolBarreto disse...

Adorei o poema!
Tanto que repassei a alguns amigos para que venham conferir...

Vanessa Souza Moraes disse...

Priscila disse no meu Divã:
"Quando vi essa pilha de livros só consegui lembrar da minha me esperando... #eutenhomedo! rs"

Eu respondo aqui:
Não tenha medo dos livros acadêmicos, menina.

Eu só tenho medo do que não é tangível.

Os livros não :) Estão aqui na cabeceira. Inofensivos... Só fazem bem.

trovador disse...

Huhu, dúvido muito.

Eu, poeta, já me apaixonei por todos os tipos de mulheres (não pq eu seja galinha, ou coisa do tipo, mas pq eu estive carente uma época...)

E não importava o tipo de garota, todas elas me desprezaram.

Então, por vc e por mim estamos em um impasse.

Eu creio que as mulheres gostam dos caras frios e distantes, tipo idealizados, e vc crê que os poetas chovem em terras de espinhos e mato alto como vc disse.

^^

Mas o texto é ótimo, mesmo. A metafora dele é ótima (indepente de eu concordar ou não com seu ponto de vista)

Parabéns! E o blog eh mto bom tb

Au revoir